quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Oktoberfest Uberaba agita Triângulo

O evento acontecerá na Cervejaria TUG e a entrada permitida por meio de convite-cortesia

Outubro, primavera, calor, uma tarde com os amigos e a família, tudo isso regado a uma boa música e, claro, cerveja artesanal, é o convite perfeito para a primeira Oktober TUG Fest de Uberaba. O evento segue o modelo da festa na Alemanha, mas tem o tempero brasileiro, marcando a inauguração da Cervejaria TUG. Será no próximo dia 21 de outubro (sábado), a partir das 10h, dentro e fora da fábrica (rua em frente), num espaço ambientado conforme as Oktoberfests mundo afora.
O mestre cervejeiro Pedro Paulo e a sommelier de cervejas Patrícia Alves receberão os convidados da Oktoberfest. Durante o período da manhã, uma das atrações será um tour pela fábrica da Cervejaria TUG, que acontecerá a cada 30 minutos, quando Pedro apresentará todo o processo de fabricação do mais novo sucesso da cidade.
A TUG Store também estará aberta aos cervejeiros de Uberaba e do Triângulo Mineiro para descobrirem do que uma TUG é feita. Nos estilos Pilsen, Special Lager, Pale Ale, IPA e Weizenbier. “Os growlers poderão ser abastecidos na hora, tudo direto da fonte”, antecipou Pedro Paulo, responsável pela produção local.
“É a primeira Oktober TUG Fest, trazendo a Uberaba um dos eventos mais tradicionais do mundo. A Cervejaria TUG vai receber de braços abertos, quem nos acolheu tão bem, proporcionando horas agradáveis aos nossos clientes. Venha para a Oktoberfest! Descubra do que somos feitos”, convida Pedro.
Atrações da Oktober TUG Fest – No palco, a programação contará com DJs, a partir das 10h, animando os convidados. Às 13h será a vez da banda Willy Dente de Ouro, com o estilo Folk Rock. Logo depois, a Big Moffo comandará o palco com os clássicos do Rock´n Roll. E fechando a line-up, a Banda Bquatro toca o melhor do Rock Pop.
Gastronomia - Haverá food truck e comida da melhor qualidade como a Charcutaria Cuiabana, com um cardápio repleto de especiarias: a deliciosa linguiça cuiabana e o clássico salsichāo alemão, com mostarda e pāo. Já o Food Truck Meet Fire Beer trará o hamburguer artesanal e espetos variados. Outras opções mais brasileiras também estarão disponíveis para a festa ficar completa.
Para os papais e mamães cervejeiros, haverá o Espaço Kids, com monitores. Além disso, os organizadores contarão com um esquema de segurança para a maior tranquilidade de todos.
Cervejaria TUG – A fábrica é pioneira em Uberaba e vem conquistando os cervejeiros de plantão, com cinco tipos da bebida, atingindo 25 mil litros/mês. Em breve, serão 12 tipos de cerveja, sendo dois de envelhecimento em barricas de carvalho. A capacidade da fábrica é de produzir 40 mil litros/mês.
A Cervejaria TUG é genuína de Uberaba e o seu nome tem um significado especial: T de Triângulo, U de Uberaba e G de Gerais (Minas). TUG, em inglês, significa força, ou seja, uma cerveja que carrega no nome a força da nossa terra.
Com tecnologia de ponta, a Cervejaria TUG segue o conceito das tradicionais e experientes cervejarias artesanais, com modelos sofisticados a nível mundial. Interessante dizer que os ingredientes são de alta qualidade, sem adição de estabilizantes ou antioxidantes. A bebida é distribuída em garrafas, barris, growlers e outras embalagens especiais para levar pra casa.
Garanta seu convite-cortesia na Cervejaria TUG - Rua José Gomes da Silva Campos, 386, Parque das Américas - Uberaba/MG, das 10h às 21h.

Confirme sua presença no Oktober TUG Fest: http://bit.ly/2i3xKzi
Mais informações: (34) 3071-0665 / (34) 99914-3479


#CervejariaTUG
#TUG
#ChoppTUG
#IssoÉTUG

Fonte: Assessoria de Imprensa
Jornalistas Sabrina Alves e Monica Cussi

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Sesc traz projeto Sonora a Uberaba




Nesta sexta-feira, 13, ABandinha, de Manaus, é a atração em Uberaba, a partir das 19h30, no Espaço da Diversidade Cultural do Sesc Uberaba, localizado na Praça Estevão Pucci. Evento faz parte da grande caravana do Sonora Brasil, que desembarcou no Triângulo Mineiro nesta quinta-feira, 12, com o Quinteto de Metais da UFBA que apresentou um concerto didático e de altíssimo nível. Neste sábado, 14, será a vez de o público conferir o trabalho da Sociedade Musical União Josefense (SC). Quem encerra a programação no município é Corporação Musical Cemadipe (GO), neste domingo, 15. Todas as atrações ocorrem a partir das 19h30 e com entrada gratuita.
Consagrado como o maior projeto de circulação musical do país, o Sonora Brasil, a cada biênio, aborda duas novas temáticas. Para 2017/2018, serão apresentados: Na pisada dos cocos e Bandas de Música: formações e repertórios, desenvolvidos com a participação de quatro grupos cada um. Até o fim de 2017, o projeto promoverá 420 concertos de música regional brasileira, em 108 cidades, incluindo municípios fora dos grandes centros urbanos.

ABandinha (AM)
Grupo formado, em 2015, por músicos da cidade de Manaus, capital do estado do Amazonas, inspirado na Bandinha de Altamiro Carrilho, que era caracterizada como uma formação compacta, composta pelos naipes de madeiras, metais, percussão e um instrumento harmônico, o banjo, e que nas décadas de 1950 e 1960 fez grande sucesso nas rádios tocando repertório de valsas, choros, maxixes, marchas-rancho e outros ritmos populares. A sonoridade do grupo e o repertório também fazem referência aos antigos ranchos carnavalescos que precederam os blocos de Carnaval e as Escolas de Samba no Carnaval carioca, dos quais Ameno Resedá é o mais lembrado até hoje.

Sociedade Musical União Josefense (SC)
Fundada em 1876, a partir da fusão de três antigas bandas, a União Josefense é uma das mais antigas do estado de Santa Catarina e está sediada na cidade de São José, na Grande Florianópolis. Formada por 28 músicos, desenvolve repertório variado, transitando por arranjos e adaptações de música popular e erudita, mas também domina repertórios tradicionais que envolvem marchas, hinos, dobrados e músicas ligadas a festividades religiosas.


Corporação Musical Cemadipe (GO)
A Corporação Musical Cemadipe é uma banda formada por jovens de Aparecida de Goiânia, cidade localizada na região metropolitana de Goiânia, capital do estado de Goiás. A criação do grupo, em 2005, ocorreu como uma proposta de educação musical baseada em referências comumente encontradas em cidades do interior do Brasil. No caso deste grupo, é realizado um trabalho bastante sistematizado e embasado teoricamente pelo fato de ter à frente um maestro/professor com formação acadêmica.

Sobre o Sonora Brasil
Criado em 1998, o Sonora Brasil é uma iniciativa do Departamento Nacional do Sesc e tem o objetivo de divulgar grupos tradicionais que trabalham com músicas não comerciais e valorizar a cultura regional, além formar novos ouvintes e plateias. A seleção dos artistas e a definição das temáticas é feita por uma curadoria nacional, formada por profissionais do Sesc de todo o país.

O projeto possibilita ao público o contato com a diversidade da música brasileira e contribui para o conjunto de ações desenvolvidas pela instituição. A proposta é despertar um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão de música no país. Todas as apresentações são essencialmente acústicas, valorizando as especificidades das obras e de seus intérpretes.

SERVIÇO
Sonora Brasil 2017 - Bandas: formações e repertórios, em Uberaba
Data: Até 15 de outubro
13/10, às 19h30: Abandinha (AM)
14/10, às 19h30: Sociedade Musical União Josefense (SC)
15/10, às 19h30: Corporação Musical Cemadipe (GO)
Local: Espaço da Diversidade Cultural do Sesc Uberaba (Praça Estevão Pucci 386)
Entrada gratuita



quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Foyer do Sesi exibe Entre Linhas







Foi aberta no dia 7 deste mês e permanecerá até dezembro no Foyer do Tratro Sesi Uberaba as obras de Suze Vilas Boas. São linhas que se cruzam, se movimentam, se contorcem. Saem de um ponto a outro, dos espaços vazios, do emaranhado de pontos, do silêncio, da parede em branco, entrelaçando, acompanhando, escutando, refazendo. 
Na apresentação, Suze diz que a vida começa por um fio, nasce das entrelinhas, e quando menos se espera, ganham forma, ganham vida, uma nova oportunidade de serem vistas. 
À Rede Vitoriosa, Suze contou que após se aposentar como bancária em 2004, passou a expor seus trabalhos artísticos em diversos cantos do Brasil. Ela explica que este é um projeto ainda é novo e espera diferentes reações do público. “Como é um desenho cheio de linhas, cada pessoas vai enxergar uma coisa diferente. Quero ver o impacto que a obra terá para cada pessoa, qual é a sensação que transmite”, contou a artista.
A classificação é livre e a entrada gratuita.

domingo, 8 de outubro de 2017

Língua Afiada: ele foi um dos que jogou ou um dos que jogaram?


Quando ouvimos algo que soa estranho, na maioria das vezes é porque está errado. Muitos falam e escrevem assim: o time tal foi um dos que jogou bem essa semana. Errado! O time tal foi um dos que jogaram bem essa semana. 

Thaís Nicoleti diz que a construção “um dos que” é sempre um convite à confusão – as pessoas hesitam entre fazer o verbo concordar com “um” (ou “uma”) e fazê-lo concordar com o pronome “os” (ou “as”) que está contraído com a preposição “de”. Esse pronome demonstrativo (“os” nessa construção equivale a “aqueles”) é o antecedente do pronome relativo “que”, portanto é com ele que se faz a concordância verbal. Ninguém diria “as que perdeu a disputa foram...”, portanto também não se deve dizer “uma das que perdeu a disputa”. Não há problema algum se uma pessoa ou outra cometa esse erro, mas ele não fica bem quando é cometido por um repórter de TV, rádio ou jornal impresso. É essencial que eles estejam atentos, porque são multiplicadores. 

O expert Sérgio Nogueira garante que a concordância deve ser feita no plural: “Ele é um dos que fizeram o trabalho”; “Ela é uma das atrizes que foram premiadas no festival de Gramado”.

Outro equívoco frequente é quando a pessoa quer citar número de visualizações acima de um milhão. Já ouvi muitos dizerem que a personalidade tem postagens com mais de duas milhões de visualizações. Sérgio Rodrigues que assina blog na Veja diz que está errado. Neste caso, prevalece o gênero masculino de milhão, como ocorre também com bilhão, trilhão e assim por diante.

Isso se dá porque milhão, que gramaticalmente é um numeral mesmo, se aproxima nesse caso dos substantivos cento e milhar, masculinos, ou dúzia e dezena, femininos, que são chamados de “coletivos numerais” por seu papel de quantificação. Estes, como milhão, bilhão e o resto da turma, fazem valer seu próprio gênero sobre o dos elementos quantificados: “dois centos de mariolas”, “dois milhares de folhas”, “uma dúzia de ovos”.

Monumento Viva Uberaba faz um ano


Há um ano a cidade ganhou o monumento Viva Uberaba, na rotatória do Shopping Uberaba, e neste mês ele estará iluminado de cor-de-rosa, em apoio ao Outubro Rosa, campanha mundial para disseminar informações sobre o câncer de mama. O letreiro é uma homenagem do Shopping à cidade com o objetivo de promover interação com as pessoas e criar uma nova atração turística. Desde a inauguração, tem sido o cenário escolhido pelas pessoas para declarar seu o amor a Uberaba por meio de fotos, seja por uberabenses ou por visitantes que reúnem os amigos no monumento para eternizar suas lembranças. Cada vez mais o local se consolida como point para os uberabenses, em especial,  demonstrarem a sua cumplicidade com a cidade. Paralelamente, a cor da luz no letreiro também chama atenção das pessoas para importantes campanhas de conscientização, como Outubro Rosa, Novembro Azul, Setembro Verde, Maio Amarelo e outras.

Projeto - Assinado pela CLA Programação Visual, do Rio de Janeiro, dirigido por Cynthia Araújo, o projeto do Viva Uberaba foi elaborado pelo designer Pedro Paiva. Para atender à solicitação dos empreendedores do Shopping, a CLA  criou o monumento  para ser  visualizado e lido nos dois sentidos da avenida Santa Beatriz. Para evitar que o verso interferisse na leitura,  o designer desenvolveu a ideia empregando dois letreiros rebatidos, separados por uma divisória espelhada em aço inox polido, que tanto proporciona profundidade às letras quanto dá a impressão de transparência. O letreiro ganhou iluminação com tecnologia LED em cada letra, possibilitando iluminá-lo em momentos diferentes de várias cores.

Sobre o Outubro Rosa

O câncer de mama é uma doença grave. Quanto mais cedo for detectado, maior a chance de cura. Tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, o câncer de mama responde por mais de 25% dos casos novos a cada ano.  A principal arma dessa luta é a mamografia. Em 95% dos casos há cura. O autoexame também é importante e pode ser feito visualmente e por apalpação. Em 19 de outubro, é celebrado o Dia Internacional do Câncer de Mama, data que relembra a importância de prevenir e tratar a doença.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Irmãs Dominicanas ofertam bolsas para Curso Técnico


Presentes em Uberaba há 132 anos, as Irmãs Dominicanas estão ofertando 80 bolsas de estudo integrais para o Curso Técnico em Administração, ministrado no Centro Social Encantos  Dominicanos. Reconhecido pelo MEC-SEE MG, o curso totaliza mil horas, com 21 disciplinas gerenciais. As bolsas são para 2018 e o processo seletivo vai até dia 13 de novembro.


O Centro Social Encantos Dominicanos funciona dentro do Colégio Nossa Senhora das Dores. Trata-se de uma ação social das Irmãs Dominicanas. O curso é exclusivo para alunos bolsistas de famílias de baixa renda. Técnicos em Administração egressos do curso destacam-se no mercado.

Telefone: 34 3331 9921, das 12h30 às 17h30


Edital completo:

www.cnsd.com.br/noticias/3987-inscricoes-para-bolsas-estudo-do-curso-tecnico-em-administracao.html

domingo, 1 de outubro de 2017

Slam Ondaka abre Mínima Cena no Sesi





O Sesi Uberaba/Centro de Cultura José Maria Barra realiza a 5ª Edição da Mínima Cena - Mostra Sesi de Cenas Curtas. A mostra  é competitiva e tem como objetivo estimular a criatividade e a produção teatral, bem como a qualidade de vida através do teatro e das expressões artísticas. Em seus quatro primeiros anos a mostra já recebeu mais de 100 artistas e técnicos com público aproximado de 2 mil pessoas.  Cada cena participante tem no máximo 10 minutos o que justifica seu nome.  A abertura, nesta quinta-feira, 5, às 19h, no Foyer externo, será com o 8° Slam Ondaka de Poemas Curtos.  A classificação é livre e a entrada é gratuita. 
Slam Ondaka, batalha de poesias faladas. O que o Slam? Basicamente, slams ou poetry slams são encontros de poesia falada (spoken word) e performática, geralmente em forma de competição, onde um júri popular, escolhido espontaneamente entre o público, dá nota aos slammers (os poetas), levando em consideração principalmente dois critérios: a poesia e a desempenho. Resumindo, o slam é o "esporte" da poesia falada. Significado da palavra Ondaka. Ondaka na língua Umbundu de Angola significa ‘Palavra’. Essa palavra demonstra a valorização da poesia como forma de transformação social. A poesia como ferramenta, como voz, como forma de novo caminho a ser trilhado.

Programação Mínima Cena 2017




Oficina Gestão e Planejamento de Grupos Culturais
5 e 6 de outubro (quinta e sexta) . 9h às 17h  Casarão Sesi Uberaba . Sala 02
Facilitadora: Chayene Arantes Cotrin Convidados: Enzo Banzo e Marco Aurélio Querubim
Classificação Livre . 40 Vagas . Inscrições gratuiitas: www.q3consultoria.com.br
Informações: q3consultoria@bol.com.br ou 34 99198-7334
Um curso para grupos culturais, artistas, agentes e produtores de cultura que buscam realizar seus sonhos de levar arte e cultura para o mundo, mas que em muitos momentos não sabem como planejar e geriri projetos necessários para cumprir os seus propósitos e serem sustentáveis. Durante o curso, você irá apreender conveitos, ferramentas e técnicas simples e eficientes para planejar e gerenciar o seu empreendimento e os seus projetos. Além disso, irá conhecer exemplos de grupos que utilizam esse modelo de gestão, trocar experiências com profissionais do setor cultural e terá a oportunidade de participar de uma roda de conversa com duas referências no setor.
Iniciação a interpretação melodramática
7 de outubro (sábado) . 9h às 13h . Casarão SESI Uberaba . Sala 08
Facilitadora: Juliana Prados . Classificação 14 anos . 20 Vagas
Inscrição Gratuita. Informações 3322-2021

A interpretação grandiloquente é uma das características do melodrama, gênero que ganhou popularidade na França do século XVIII e que permanece vivo em suas redescobertas na telenovela e no cinema. A proposta da oficina é fazer com que os participantes possam experienciar o modo melodramático clássico de interpretar, através de um breve contexto histórico apresentado e exercícios práticos de improvisação. Corpo e voz são trabalhados em conjunto com sentimentos que caracterizam os personagens tipo do gênero.

O ator presente
7 de Outubro (sábado) . 14h às 18h . Casarão SESI Uberaba . Sala 08
Facilitador: Mário Cortês . Classificação 14 anos . 20 Vagas
Inscrição Gratuita . Informações 3322-2021
A oficina o “Ator Presente” tem como finalidade apresentar alguns conceitos teatrais trabalhados para a criação de espetáculos solos. São eles: jogos de improvisação, jogos de relação com o outro e que estimulem a tríade básica para a atuação no palco: o foco, a atenção e o jogo.  A oficina surge a partir do contato do oficineiro com os artistas Julio Adrião e Denise Stoklos expoentes na modalidade Solo, estilo teatral em que um só ator está em cena. A oficina contará com exercícios de percepção corporal através do toque no corpo do parceiro, em seguida trabalharemos com a contação de história a partir de autobiografia, logo após há um trabalho com a gestualidade e movimentação em cena e depois trabalhos de jogos relacionais em duplas e em grupos e por fim trabalhamos alguns exercícios de improvisação que fazem parte da criação de estruturas de cena, com o intuito de trabalhar a percepção, intuição, gestualidade e capacidade de contar uma história do ator/performer.


Exposição

                                                                                     
Entre-Linhas – Suze Vilas Bôas
7 de Outubro . Sábado . 21h . Foyer Teatro Sesi Uberaba
Visitação até dezembro de 2017 . Classificação Livre . Entrada Gratuita

Linhas que se cruzam, se movimentam, se contorcem. Saem de um ponto ao outro, dos espaços vazios, do emaranhado de pontos, do silêncio, da parede em branco, entrelaçando, acompanhando, escutando, refazendo. A vida começa por um fio, nasce das entrelinhas, e quando menos se espera, ganham forma, ganham vida, uma nova oportunidade de serem vistas.




Mostra Competitiva

Categoria: Teatro na Escola/Teatro Amador
6 de outubro (sexta) . 19h . Teatro Sesi Uberaba
Classificação Livre . Inteira R$ 20 e Meia R$ 10
Industriário e/ou Funcionário Sistema Fiemg com crachá: entrada gratuita

1 - Cão coragem - Filhos do ralo
2 - A caixa Preta - Grupo pés em cena (Escola Municipal Santa Maria)
3 - Onde eu nasci passa um rio - A esdrúxula cia. de teatro
4 - Antolhos - Companhia de Dança Nathália Luz
5 - Pane no Sistema - Grupo Jornada Teatral (Cemea Boa Vista)
6 - Carta para tio Jó - Grupo Garapa
7 - Vermelho - Grupo Teatral Jovem Marista (Marista)
8 - Os Fantasmas - Utopia
9 - Escolha uma música para morrer - Os Pimpões
10 - O Cordel das Lavadeiras - Grupo de teatro do Cemea Abadia (Cemea Abadia)


Categoria: Escola de Teatro/Teatro Profissional
7 de outubro (sábado) . 19h . Teatro SESI Uberaba
Classificação Livre . Inteira R$ 20 e Meia R$ 10
Industriário e/ou Funcionário Sistema Fiemg com crachá: entrada gratuita

1 - Máquina Hamlet - Grupo Todo-um de teatro
2 - 2 - Miguel Jacob Neto
3 - Caco de Vidro - Dançarte
4 - Des-caminhos - DasDuas Companhia de Teatro
5 - Ofélia, meu coração é um relógio - Dançarte
6 - Caliandra - Grupo Tramoya de Teatro


Jurados

Juliana Prados
Supervisora de Cultura do SESI - Araxá; Mestre em Ensino e Educação Básica pelo CAp- UERJ; Graduada em Licenciatura em Teatro pela Universidade Federal de Uberlândia; Desenvolveu pesquisas como bolsista FAPEMIG2008/2009 e 2009/2010 nas áreas de interpretação e atuação melodramática e pedagogia da cena e também na área de ensino de teatro em instituições públicas e privadas. Cursou Mobilidade internacional na Universidade de Évora- Portugal entre 2009 e 2010. Especializada em Suzuki e Viewpoints pela Universidade de Évora- Portugal. Desenvolveu pesquisa na área de pedagogia do teatro e história e cultura afro-brasileira entre 2010 a 2011. Recebeu o Prêmio de Melhor Atriz e Melhor Maquiagem no Festival de Teatro Universitário de Patos de Minas em 2011. Professora de teatro da rede privada de ensino de Sete Lagoas entre 2012 e 2014. Ministra oficinas de teatro e workshops sobre treinamento corporal para atores e bailarinos. Foi Professora Pesquisadora, no ensino superior à distância no curso de Licenciatura em Teatro da UnB por cinco anos. Atuou como artista educadora no Museu de Arte Contemporânea Casa Daros em 2015, no Rio de Janeiro, realizando pesquisas e ministrando cursos de formação para professores da primeira infância com o projeto, Arte e Aprendizagem na Primeira Infância e Encontros para Multiplicadores.

Michelle Ferreira
Atriz e gestora cultural. Licenciada em artes cênicas pela UFMG, pós-graduada em produção e crítica cultural pela PUC Minas e em politicas públicas pela UFMG. Prêmio de melhor atriz no Festival Latino-Americano de Cuba em 2012 e na 8a edição do Festival Nacional de Teatro de Limeira/SP no mesmo ano. Criadora da Flores de Jorge Cia Cênica, atuante desde 2006. Formação Profissional: Graduada em Artes Cênicas pela Escola de Belas Artes Universidade Federal de Minas Gerais Habilitação: Licenciatura em Teatro (2004). Pós-Graduada do curso de Especialização em Políticas Públicas promovido pelo Departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG (2012) – Monografia: Políticas Culturais em Minas Gerais: acesso à cultura no estado. Pós-graduanda do Curso de Especialização em Gestão Pública da Fundação João Pinheiro (2010- não concluso).  Pós Graduada do Curso de Produção e Crítica Cultural – PUC Minas (2006) Monografia: A produção cultural na periferia da cidade: Grupo do Beco – um estudo de caso.  Experiência Profissional: Gestão de Projetos do Programa Polos de Cidadania da Faculdade de Direito da UFMG (2015 até a presente data): Gestão de Projetos da Rede Minas de Televisão (2009/2014);  A convite da Secretaria de Estado de Cultura foi membro da CTAP, parecerista da área I (Artes Cênicas) 2011-2013 da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e foi integrante da comissão de pareceristas da área II (Circulação), do Fundo Estadual de  Cultura gestão 2010-2012, que analisa os projetos apresentados neste mecanismo de fomento; Gestão de Projetos do Galpão Cine Horto (2009); Ministrante das oficinas “Ferramentas da produção cultural” e “Formatação de projetos e  mecanismos de fomento à cultura”- Teatro SESI Uberaba e Alternativa Cultural (2014/2015);  Gestora e produtora da “Flores de Jorge Cia Cênica” (2007-até a presente data). Como atriz: 2016: Espetáculo “A Jagunça” Texto e Direção de Ildeu Ferreira (em processo). 2014 - Espetáculo Desmemória América Latina- Solo viabilizado por meio de bolsa concedida pelo Governo do México a artistas estrangeiros. Direção: Rodolfo Guillén. 2013- Espetáculo Meus Sentimentos! Direção: Fábio Furtado. 2010- Apareceu a Margarida. Direção: Camilo Lélis. Texto de Roberto Athayde. Prêmio de melhor atriz no 1º Festival de Monólogos Latino-Americano de Cuba (2012), Prêmio de melhor espetáculo, melhor atriz, melhor maquiagem e indicação à melhor direção- 8ª edição do Festival Nacional de Teatro de Limeira/São Paulo (2012), Prêmio de Melhor Cenografia no 19º Concurso de Monólogos Ana Maria Rego/Teresina- Piauí (2012), 2007- Espetáculo Hotel Açucenas. Direção: Fábio Furtado, Texto de Pollyana Santos.    Como dramaturga: Desmemória América Latina (2014), Meus Sentimentos! (2013) e em fase de elaboração Desmemória – Exercício 2 (2015).

Mário Cortês 
Formado em Teatro pela Universidade Federal de Uberlândia. Peças: Anti-Nelson Rodrigues, Chorus Line o musical, Experimento-Baal e Religar-se, todos pelo curso de graduação em teatro. Pela Companhia Grande Otelo o espetáculo “A Mandrágora” de Nicolau Maquiavel com dezoito apresentações; Impetérito pelo Grupo de Pesquisa em Teatro Esporte e Match de Improvisação (GPTEM). Premiações: Desonra - vencendo como melhor ator e melhor cena no Mínima Cena SESI UBERABA 2013; Mírame - segunda colocada no Festival de Cenas Curtas do Grupontapé dentro da Programação do Ruínas Festival Latino americano de teatro; O Barqueiro ou Ensaio Sobre a Liberdade Solitária – melhor cena e melhor ator no Festival de Cenas Curtas de Araguari – MG. No ano de 2016 foi ator e dramaturgo do espetáculo “a vida é um espetáculo” com a Cia Ballet Bolshoi Brasil no festival mudante de Uberlândia.  Hoje é pesquisador em Teatro Solo e realizou residências artísticas com Julio Adrião e Denise Stoklos.


Cenas Convidadas


Lola – Flores de Jorge Cia. Cênica
6 de outubro (sexta) . Abertura . Teatro Sesi Uberaba

As cenas Carmem e Lola são fragmentos do espetáculo Meus Sentimentos!, espetáculo que teve sua estreia pela Flores de Jorge em 2013. Carmem é uma cantora que “não deu certo” na vida e possui uma situação sentimental e profissional mal resolvida.  Lolaé uma policial civil, que luta contra o luto do marido, morto em um acidente de carro. As duas cenas são baseadas na filmografia e na estética do cineasta espanhol Pedro Almodóvar que adentrou com profundidade o universo feminino e permitiu uma estética singular nas telas do cinema. Direção: Fábio Furtado. Dramaturgia e Elenco: Michelle Ferreira. Gênero: Monólogo/Comédia. Figurinos: Iasmim Marques.


Lembranças  – Iná Laranjo


6 de outubro (sexta) . Encerramento . Teatro Sesi Uberaba


Carmem – Flores de Jorge Cia. Cênica
7 de outubro (sábado) . Abertura . Teatro Sesi Uberaba

As cenas Carmem e Lola são fragmentos do espetáculo Meus Sentimentos!, espetáculo que teve sua estreia pela Flores de Jorge em 2013. Carmem é uma cantora que “não deu certo” na vida e possui uma situação sentimental e profissional mal resolvida.  Lola é uma policial civil, que luta contra o luto do marido, morto em um acidente de carro. As duas cenas são baseadas na filmografia e na estética do cineasta espanhol Pedro Almodóvar que adentrou com profundidade o universo feminino e permitiu uma estética singular nas telas do cinema. Direção: Fábio Furtado. Dramaturgia e Elenco: Michelle Ferreira. Gênero: Monólogo/Comédia. Figurinos: Iasmim Marques.


Ser Tão no Concreto – Versão Alemã – Trupe Tamporil de Teatro


7 de outubro (sábado) . Encerramento . Teatro Sesi Uberaba