terça-feira, 15 de agosto de 2017

Crea Cultural traz Guignard ao Triângulo

                                                                          Fotos Rafael Motta




Com programa aberto por Béla Bártok (1881 – 1945), o Quarteto Guignard, formado por Joanna Bello, Rodrigo Bustamante, Camilla Ribeiro e Gerry Varona, traz ao Triângulo Mineiro um concerto de primeira grandeza. O repertório ainda conta com Ludwig van Beethoven (1770 – 1827) e muito mais. 




Joanna Bello





O evento é uma realização do Crea Cultural e a Inspetoria do Crea-Minas de Araxá Regional Rio Grande, de Uberaba e de Uberlândia, com o patrocínio da Mutua, integrando o Projeto Interiorização Cultural. A abertura da mini turnê será neste sábado (19), às 20h, no Teatro Municipal de Araxá.









Rodrigo Bustamante



Em Uberaba, a apresentação será neste domingo (20), às 11h, no Teatro Sesi/Centro de Cultura José Maria Barra, com apoio da Inspetoria do Crea Uberaba e do Instituto de Engenharia e Arquitetura do Triângulo Mineiro (IEATM).











Camilla Ribeiro



À noite, será em Uberlândia, às 20h, no Auditório da Inspetoria, e no dia 21, para universitários, às 20h, na sala Camargo Guarnieri, na Universidade Federal de Uberlândia-UFU, todos com entrada gratuita.
No concerto aberto ao público em geral, estarão reunidos os profissionais de engenharia, familiares e amigos, para esta apresentação cultural única.








                                                                                                                     Gerry Varona




Sobre o Quarteto Guignard
Formado por Joanna Bello (violino), Rodrigo Bustamante (violino), Camilla Ribeiro (violoncelo) e Gerry Varona (viola), músicos que conciliam uma intensa temporada de concertos como integrantes da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais com atividades regulares na prática da música de câmara. Criado em 2017, o grupo já tem apresentações agendadas nas salas de concerto mais tradicionais de Belo Horizonte e também colabora com o projeto Crea Cultural, pioneiro em interiorização cultural, levando a música de câmara a várias cidades e comunidades por todo o estado de Minas Gerais.









terça-feira, 8 de agosto de 2017

Uberaba realiza 6ª Corrida Contra o Câncer

Promover a saúde e a qualidade de vida de adolescentes e crianças com câncer é a missão do Instituto Ronald McDonald e, para cumpri-la, são realizadas campanhas e eventos através de parcerias e doações de pessoas físicas e jurídicas como mais uma frente de captação para transformar o cenário do câncer infantojuvenil no país. Em Uberaba, corrida vai fazer parte da campanha que tem como ponto principal, o “McDia Feliz”, promovido pelo Instituto Ronaldo McDonald, a ser realizado no dia 26, em todas as unidades da rede fast-food McDonald’s, onde toda renda do Big Mac é revertida para entidades que cuidam de pacientes com câncer.


No dia seguinte (27, domingo), a Oasis-Organização dos Amigos Solidários à Infância e à Saúde irá realizar a 6ª Corrida Contra o Câncer, a partir das 8h, com saída em frente ao RestauranteMcDonald's da Medalha, como parte da programação do McDia Feliz, em Uberaba.

As inscrições já estão abertas, com o apoio da Funel-Fundação de Esporte e Lazer e da Acru-Associação dos Corredores de Rua de Uberaba), devendo ser feitas pelo site sportbro.com.br, também apoiador da
corrida, e, ainda, na sede da Oasis, na rua Miguel Abdanur, 53, quase esquina com  a avenida Nelson Freire. O valor da inscrição está fixado em R$ 50 e dá direito a um kit que contém: uma camiseta Dry Fit, um vale Big Mac, uma Medalha, o kit com chip, alfinetes e número do atleta.


A presidente da Oasis, Vera Santos, informa, também, que estão abertas as inscrições para a Pedalada e a Caminhada (R$ 20), que devem ser feitas na secretaria da associação. Ela disse, ainda, que a partir deste sábado, dia 12, inscrições podem ser feitas também nos postos de venda da Oasis, entre eles o Shopping Uberaba.   Nesses locais, além das inscrições, o colaborador ainda irá poder adquirir o tíquete antecipado do McDia Feliz, cuja troca pelo sanduíche somente poderá ser feita no dia 26, nos restaurantes McDonald’s. “Abram seus corações e mostrem seu apoio às crianças em tratamento de
câncer”, conclama Vera Santos.





......
Com informações de Lúcio Castellano – MG 04052 JP - voluntário Oasis

sábado, 5 de agosto de 2017

Sesi traz show com Clube do Choro de BH



O espetáculo musical "Breve Almanaque do Choro", apresentado pelo grupo Clube do Choro de Belo Horizonte, é o programa do dia 11 de agosto (sexta-feira), às 20h, no Teatro Sesi/Centro de Cultura José Maria Barra, que integra o projeto Sesi no Palco, que leva apresentações de teatro, música e dança gratuitas aos espaços culturais do Sesi de parceiros nas cidades mineiras, no ano em que o Sesi completa 70 anos.
O show  do dia 11 mostra para os diversos públicos um panorama do choro no Brasil, resultando em um evento, ao mesmo tempo de cunho lúdico e didático. Antecedendo à execução de cada bloco musical, será anunciado o nome das músicas executadas, assim como seus autores, época da composição, destaque do solista e outras informações consideradas importantes e interessantes.
O repertório vai da fase primitiva do choro até os dias de hoje, passeando pelos grandes compositores, como Pixinguinha, Waldir Azevedo e Jacob do Bandolim, sem deixar de lado compositores mineiros e grandes nomes da MPB, cujas músicas serão executadas em ritmo de choro.
O objetivo do Sesi no Palco é oferecer aos principais polos e cidades industriais de Minas Gerais uma programação artístico-cultural de peso para os trabalhadores da indústria e seus dependentes. Desta forma contribui para a ampliação do relacionamento entre as entidades envolvidas, bem como da qualidade de vida das pessoas na indústria do estado.


SERVIÇO
Breve Almanaque do Choro com o grupo Clube do Choro de Belo Horizonte
Dia 11 agosto (sexta) -  20h
Teatro Sesi Uberaba -Praça Frei Eugênio 231 . Bairro São Benedito
Classificação Livre -  Entrada gratuita limitada . Informações: (34) 3322-2021

Atrações artísticas agitam saldão do Shopping

Shopping Uberaba transforma temporada de liquidação em um espetáculo de talento 

O Bazar Mix do Shopping Uberaba, maior saldão de inverno com até 70% de desconto, conta com trilha especial e atrações artísticas de primeira qualidade em parceria com a Bastidore. Na sexta, das 11h às 12h, os músicos Carlos (violão) e Jonas (sax) tocaram pelo mall, e das 18h às 19h, as princesas Elsa e Anna, acompanhadas do Olaf, passearam pelos corredores fazendo a alegria das crianças e muitos pais também, que acabam posando para fotos junto com os filhos.


  Neste sábado, das 17h às 18h, Elsa, Anna e Olaf coltam a passear pelo mall e no domingo, a festa com os personagens da Frozen será das 15h às 17h.




E na Praça de Alimentação nos três dias há show de Beto & Barcelos e banda, das 19h às 22h, com entrada gratuita e sem cobrança de couvert.


quarta-feira, 26 de julho de 2017

Circuito ou "circuíto"?? Qual é o certo?







Se a vendedora de uma loja fala "circuíto" causa um desconforto, mas é compreensível, agora na área da comunicação em rádio e TV, principalmente, o perdão é mais difícil rsrs Digo isso porque parte-se do princípio de que a forma como eles falam é a correta, pois repórteres e apresentadores estudaram para estar ali. E muitos acabam por multiplicar o erro. Mas para tudo há esperança. Achava-se que dificilmente as pessoas aprenderiam a falar gratuito e não "gratuíto" e já está melhor. Grande parte já absorveu. A palavra circuito é paroxítona. Assim, segundo as regras de acentuação da língua portuguesa, não deverá ser acentuada graficamente e deverá ser pronunciada corretamente com a tonicidade na sílaba cui (cir-cui-to). Circuito é uma linha exterior que delimita uma superfície, um contorno, um caminho que circunda. Também se refere a um itinerário organizado no âmbito de alguma atividade, como circuito com provas esportivas, circuito com monumentos turísticos de uma cidade, circuito elétrico com condutores da corrente elétrica. A palavra circuito deverá ser pronunciada como as palavras gratuito, fortuito, intuito, sendo a vogal u a vogal tônica. 

Exemplos: 

O piloto de Fórmula 1 completou o circuito em tempo recorde. 

Todo o circuito elétrico deverá ser revisto. 

O circuito turístico proposto para esta cidade está muito bom. 

A nossa língua, de fato, é complexa. Há muitas armadilhas, mas quem dedica um tempinho para leitura de veículos como a revista Veja e outros nessa linha, tende a errar menos tanto para falar como para escrever.
Agora, vamos combinar, há casos que demonstram mesmo falta de conhecimento da escrita, da pronúncia e às vezes até o significado de algumas palavras. Muitos como eu já devem ter ouvido a pessoa dizer "asterístico". O correto é asterisco. Também é comum a gente ouvir alguém dizer que tal evento é "beneficiente". Não é. O correto é beneficente. "Previlégio" também é um erro comum. O certo é privilégio. O mesmo acontece com "impecilho". A forma correta é empecilho. E por aí vai... Para minimizar essas gafes é que essa coluna existe. Não há intenção de denegrir ou desmerecer ninguém, apenas trazer dicas para que mais pessoas possam saber se estão falando certo ou errado..

Concerto em Peirópolis encerra Violoncelada


A primeira edição da Violoncelada Peirópolis ofereceu atualização para músicos das mais variadas localidades brasileiras com a presença de mestres como Kayami Satomi (UFU – Uberlândia/MG), coordenador do evento, Matias de Oliveira Pinto (Alemanha), Hugo Pilger (UniRio– Rio de Janeiro/RJ), Eduardo Swerts (Orquestra Filarmônica de Minas Gerais) e 

Foto Ruth Gobbo






Gabriel Gonçalves (Orquestra Municipal de Uberaba). 











O encontro que movimentou a cultura e o aprendizado musical/violoncelístico na região do Triângulo Mineiro. Violoncelada é um termo de conotação informal utilizado pelo professor Kayami Satomi para denominar o curso intensivo e concentrado de violoncelo, uma forma de convenção em busca da divulgação e maior desenvolvimento desse instrumento no Brasil.
                                                            Foto Ruth Gobbo

​O projeto foi realizado no período de 14 a 18 de junho de 2017 e foi encerrado com um encontro de violoncelos em Peirópolis, município de Uberaba.








Quarteto Guignard vem a Uberaba dia 20


                                                                                              Fotos Rafael Motta

O Quarteto Guignard, formado pelos músicos Camilla Ribeiro (violoncelo), Rodrigo Bustamante (violino),  Joanna Bello (violino) e Gerry Varona (viola), virá a Uberaba para um concerto de música de câmara, no dia 20 de agosto (domingo), às 11h, no Teatro Sesi-Centro de Cultura José Maria Barra. A entrada é gratuita e a retirada de convites na bilheteria pode ser feita até uma hora antes do inicio do show, em uma realização do Crea Cultural, em parceria com a Inspetoria do Crea-Minas em Uberaba e Mutua-MG, com apoio do IEATM-Instituto de Engenharia e Arquitetura do Triângulo Mineiro.

O Projeto de Interiorização Crea Cultural permite levar a cidades do interior mineiro eventos culturais e artísticos de qualidade com a efetiva participação das inspetorias do Conselho. Em quatro anos, foram feitas 87 apresentações em 56 cidades mineiras. Atualmente, o projeto ocupa um espaço destinado à valorização da arte e da cultura, não só em Belo Horizonte, como em todo o Estado de Minas Gerais.

Sobre o Quarteto Guignard
Reúne músicos que conciliam uma intensa temporada de concertos como integrantes da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais com atividades regulares na prática da música de câmara. Criado em 2017, o grupo já tem apresentações agendadas nas salas de concerto mais tradicionais de Belo Horizonte e também colabora com um projeto pioneiro de interiorização cultural, levando a música de câmara a várias cidades e comunidades por todo o estado de MG.


Nascida na Venezuela, Joanna Bello começou seus estudos de violino aos sete anos dentro do ”El Sistema” de Orquestras Juvenis e posteriormente no Colégio Emil Friedman com os professores Emil Friedman e Luis Miguel González. Entre 2002 e 2015, integrou a Orquestra de Câmara do Chile, lecionou na Faculdade de Música da Universidad Mayor e fez parte do Ensemble Nuevo Mundo. No Brasil, foi spalla da Camerata Antiqua, em Curitiba. Participou de vários festivais, dentre eles o Meadowmount School of Music (USA), Fontainebleau (França) e Festival Schleswig-Holstein (Alemanha), onde realizou turnês pela Europa e pelo Japão. Joanna é graduada pela Universidade de Carnegie Mellon, onde estudou com Andrés Cárdenes e mestre pela Universidade de Michigan, onde estudou com Stephen Shipps..


Rodrigo Bustamante obteve o título de Mestre em Violino pela Eastman School of Music (EUA), onde estudou com Ilya Kaler e Mitchell Stern, e graduou-se na classe do professor Marcello Guerchfeld na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Ocupou a posição de spalla da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro (Porto Alegre), com a qual também foi solista. Recebeu o Prêmio Açorianos de Melhor Grupo de Câmara, além da indicação de melhor instrumentista no álbum Musitrio – Kinematic. Mantém intensa atividade na música de câmara, com destaque às performances de Pierrot Lunaire e atuações ao lado do Offenburger Streichtrio, do violinista canadense Guillaume Tardif e do Quarteto Libertas.




Gerry Varona formou-se em Filosofia nas Filipinas, seu país natal, e obteve o diploma de Mestre em Viola na Indiana University (EUA), onde recebeu a prestigiosa bolsa de estudos Barbara and David Jacobs. Estudou com excelentes violistas tais como Jerzy Kosmala, Atar Arad e Matthew Daline. Vencedor do 1o Prêmio em vários concursos, como o Indiana University Concerto Competition, foi chefe de naipe na IU Philharmonic e assistente de chefe de naipe na Baton Rouge Symphony. Já se apresentou como solista com várias orquestras, incluindo a Indiana University Chamber, a LSU Symphony e a Peace Philharmonic Philippines. Gerry é um entusiasta da música de câmara, tocou com o Duo Parnas e apresentou-se com Joel Smirnof do Juilliard Quartet.




Camilla Ribeiro começou a dedicar-se ao violoncelo aos nove anos de idade em sua cidade natal, Belém do Pará, sob a orientação do professor Áureo de Freitas. Prosseguiu seus estudos no Conservatório de Tatuí, com Clodoaldo Leite e Jefferson Perez. Em 2005, obteve o primeiro lugar no Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio. Ingressou na Academia de Música da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) em 2009, sob orientação de Johannes Gramsch, formando-se em julho de 2011. Participou também de masterclasses com renomados violoncelistas, como Johannes Moser, Xavier Phillips, Antonio Meneses, Benhard Loercher e Mark Kosower. Camilla integrou as orquestras Jovem do Estado de São Paulo, Sinfônica de Santo André e Experimental de Repertório, tendo ainda se apresentado com a Osesp como musicista convidada.